O UNIFAI em um novo momento | Unifai Pular para o conteúdo principal

Palavra do Reitor

O UNIFAI em um novo momento

Neste início de ano letivo, desejo, antes, saudar os novos alunos de graduação e pós-graduação. Sejam bem-vindos à nossa instituição, que se sente profundamente honrada por ter sido escolhida por vocês para fazer parte deste tempo de aprofundamento de conhecimento e de enriquecimento da vida pessoal e profissional. Aos veteranos, funcionários, professores e coordenadores da graduação e pós-graduação, uma boa continuidade em seus projetos acadêmicos, profissionais e pessoais. O UNIFAI se alegra e se orgulha pela presença de vocês em nosso meio!

Para os que não sabem, há praticamente um ano nossa instituição passou a fazer parte da Fundação São Paulo (FUNDASP), entidade que tem entre suas mantidas a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), a Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação (DERDIC) e o Hospital Santa Lucinda, de Sorocaba.

A transição – do Instituto Educacional Seminário Paulopolitano (IESP) para a FUNDASP – permitiu ao UNIFAI oferecer bolsas de filantropia (de 100% e de 50%) e contar com uma estrutura maior de gestão. O que poucos sabem é que não foi uma transição fácil. Enfrentamos vários desafios – para não dizer problemas – na adequação aos procedimentos e padrões exigidos pela FUNDASP. Foi necessário, por exemplo, um complexo ajuste do sistema de inscrições, matrículas e geração de boletos; e a troca de sistema acadêmico e portais do aluno e do professor, entre outros processos de ordem administrativa.

Estamos cientes de que isso afetou a todos em muitos momentos, particularmente aos alunos em transição de semestre. Por todos esses contratempos, nos desculpamos. Ao mesmo tempo, quero agradecer profundamente ao corpo de funcionários, que não mediu esforços para encontrar saídas para tantos contratempos. Além disso, tivemos no final de julho passado um ataque de hackers que criptografou os arquivos de todos os nossos servidores. Para que 95% dos arquivos fossem recuperados, formou-se uma força-tarefa de professores, coordenadores de curso e funcionários, todos extremamente prestativos, solícitos. Novamente a todos, o meu muito obrigado. Digo isso para não nos esquecermos do quão difícil foi o ano de 2019, que fecha um ciclo e abre, assim espero, novos rumos para o UNIFAI.

O UNIFAI entra em novo ciclo também pelo fato de estar às vésperas de seu cinquentenário. Para quem não teve a curiosidade de conhecer a história de nossa instituição, replico aquilo que está escrito em nosso Portal: “Em 1965, logo após o encerramento do Concílio Vaticano II – convocado pelo Papa João XXIII por meio da Bula “Humanae Salutis”, em 25 de dezembro de 1961 –, relevantes mudanças se fizeram sentir nas atividades pastorais da Igreja, inclusive na área de educação. No início da década de 70, um pequeno grupo de sacerdotes, à testa do Seminário Central do Ipiranga e à luz das novas diretrizes da Igreja, fundou o IESP, sociedade civil sem fins lucrativos voltada à Educação e ao Ensino em todos os graus. Este, por sua vez, criou, em 1971, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, doravante denominada FAI (Faculdades Associadas Ipiranga), que passou a ocupar as dependências do Antigo Seminário Arquidiocesano de São Paulo, situado à Avenida Nazaré, nº 993. Posteriormente, as atividades da FAI foram ampliadas e direcionadas não só aos candidatos ao sacerdócio, como também aos leigos que desejavam usufruir da experiência da Instituição, dirigida sob um enfoque humanístico, calcado nos valores evangélicos. Em julho de 2002, ao ser constituído o Centro Universitário Assunção – UNIFAI, as instalações se ampliaram, estendendo-se também para o moderno campus Vila Mariana que, a partir de julho de 2010, passou a concentrar todas as atividades da instituição.”

O Centro Universitário Assunção – UNIFAI é, portanto, um respeitável senhor que vem construindo sua história e resiste bravamente aos assaltos da mentalidade neoliberal e à lógica meramente empresarial que tem marcado o projeto acadêmico dos grandes grupos educacionais disseminados pelo País. Oxalá, ele tenha a astúcia de David para vencer os filisteus da cultura que, na linguagem do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900), representavam, no século XIX, as pessoas incultas e vulgares com interesses apenas materiais na educação. A contar pelo que vemos atualmente no Brasil, não avançamos muito desde lá. Em nome dos 50 anos de vida do UNIFAI, que vença David e caia o grande guerreiro dos filisteus, o Golias, que está destruindo nossa educação!

São Paulo, 07/02/2020

Reitor

Prof. Dr. Pe. Edelcio Ottaviani

Reitor do Centro Universitário Assunção - UNIFAI