Última Palavra do Reitor Prof. Dr. Pe Edelcio Ottaviani | Unifai Pular para o conteúdo principal

Conto, com a Reitora

Última Palavra do Reitor Prof. Dr. Pe Edelcio Ottaviani


Aos queridos professores, alunos e funcionários do Centro Universitário Assunção – UNIFAI.

Espero encontrá-los bem de saúde, assim como todos os seus familiares e amigos. O motivo desta última palavra que lhes dirijo enquanto Reitor do UNIFAI é de agradecimento.
 

Em primeiro lugar, agradeço a Deus. Com a força e a luz de seu Espírito, Ele me mostrou saídas onde não via mais do que portas fechadas; auxiliou-me a criar onde aparentemente eu só via o nada. Mas, acima de tudo, por ter sempre colocado em meu caminho pessoas abençoadas que me auxiliaram a abrir janelas onde as portas teimavam em se manter cerradas; a me mostrar que, no nada aparente, havia o humus necessário, a partir do qual se podia moldar coisas belas, como o oleiro molda suas peças artísticas e seus utensílios para o lar. Agradeço a Deus que, na pessoa do Filho, atraiu meus olhos para o referencial ético, quando a esperança parecia desesperar diante da incongruência entre palavra e gesto. Agradeço ao Pai, que estendeu seu braço forte e amoroso, por meio de braços ternos e vigorosos que me ajudaram a carregar o peso da cruz, a enfrentar pequenas mortes e a louvar pelos momentos de ressurreição. Como diz a canção La Cigarra, tão bem interpretada pela cantora argentina Mercedes Sosa: “Gracias doy a la desgracia y a la mano com puñal porque me mató tan mal!” Sim, pois como diz o filósofo alemão: “O que não me mata, me fortalece”. Por diversas vezes, como canta Mercedes, fiz um nozinho no lenço, para não esquecer que a dificuldade enfrentada não era primeira e, por isso, sempre encontrei forças para levantar e seguir cantando. Cantei nas missas que celebrei, mas também cantei sozinho, em minha sala, louvando e agradecendo, tal qual uma Cigarra que passa um ano embaixo da terra, por ter ressurgido como um sobrevivente que volta de uma guerra.  Sim, porque não foram poucas as batalhas contra o desmonte da Educação que ocorre neste país, solapando belicosamente o direito dos mais pobres a um ensino de qualidade e a uma boa formação, tanto científica como de caráter. E nessas batalhas, grande parte da comunidade acadêmica, inclusos os setores técnico-administrativos do UNIFAI, esteve comigo e com os membros da Reitoria, os quais me acompanharam nesses oito anos de gestão.

Gostaria, em segundo lugar, de agradecer ao Grão-chanceler, Cardeal D. Odilo Pedro Scherer, pela confiança que depositou em mim na condução do UNIFAI, com seus cursos de Graduação e Pós-graduação Lato Sensu, por dois mandatos seguidos e que se encerrarão agora no dia 31 de outubro. Como professor desde 1996, eu passei por todas as instâncias da instituição: corpo discente, corpo docente, Coordenação do Curso de Filosofia, Vice direção do Curso de Teologia e Coordenação do Curso de Pós-graduação da Faculdade de Teologia Nossa Senhora d’Assunção - no tempo em que ela esteve ligada ao UNIFAI, Vice-reitoria - por três anos e Reitoria - por oito anos. Aprendi a amar as Faculdade Associadas Ipiranga - FAI, depois transformada em Centro Universitário Assunção - UNIFAI. Conheço suas potencialidades e fraquezas, e sempre lutei de forma transparente pela instituição, zelando, em todas as instâncias, pela participação conjunta, pelo clima cordial e respeitoso entre os pares, alunos e funcionários. Agradeço ao Cardeal por ter mantido a identidade da instituição, que atende em sua maioria a uma população de baixa renda, sendo não poucos alunos os primeiros a cursarem o ensino superior em suas respectivas famílias.  O fato de ele ter sempre manifestado a vontade de que o UNIFAI se mantivesse vivo e atendesse a essa população deu-me sempre um “surplus” de força para que eu e os outros membros da reitoria não desanimássemos e continuássemos a lutar por ela, mesmo quando muitos acreditavam que estava fadada ao fracasso e à falência. 
Nesse sentido, agradeço aos membros da antiga mantenedora IESP pelo apoio recebido em minha primeira gestão, mas sobretudo aos membros da atual Mantenedora FUNDASP que contribuíram para que a dívida monstruosa, contraída no passado pelo UNIFAI, fosse saudada sem que houvesse a venda dos edifícios da Vila Mariana. Isso só foi possível, além do incentivo do senhor Cardeal, pelos conhecimentos jurídicos e estratégias financeiras dos atuais secretários executivos. Porém, nada disso teria sua razão de ser se não houvesse um amor muito grande pelo UNIFAI entre professores, funcionários e alunos, testado fortemente em duas grandes ocasiões:

1) Quando a crise financeira nos deixou fragilizados frente à voracidade dos grandes oligopólios de ensino que cresceram nos últimos dez anos, colocando não só em cheque a existência de Instituições de Ensino Superior – IES - sérias, por uma concorrência desleal, como a qualidade na formação de uma massa de pobres que sonham em ascender em sua vida profissional, mas que ou são ludibriados ou fingem que aprendem, enquanto a maior parte dos professores finge que ensina.
2) Durante a Pandemia. Mantivemos a qualidade de nosso ensino por meio de aulas síncronas, em tempo real, aprendendo com o “bonde andando” a manusear as ferramentas remotas, auxiliando os alunos e, não poucas vezes, partilhando do próprio bolso o acesso dos mesmos ao aparato tecnológico. Nesse momento, a Mantenedora também nos auxiliou com a compra do pacote Office 365 para alunos e professores, com o recurso à Plataforma Teams e com o empréstimo de alguns notebooks a alunos e até mesmo a um ou outro professor. Mantivemos a qualidade dos cursos e os professores e funcionários responderam de forma aguerrida aos desafios. Prova é que mantivemos a assiduidade de nossos alunos, com uma pequena porcentagem de desistência por motivos econômicos continuamos a realizar todas as atividades acadêmicas e administrativas de forma regular e mantivemos um canal de comunicação sempre ativo, tanto com os alunos, por meio do Diretório do Centro Estudantil - DCE, quanto com o corpo de funcionários, corpo docente e entre os membros da Reitoria e desta com a Mantenedora.  Não foram poucos os desafios, mas sempre tivemos o discernimento e o bom senso de lhes responder com ética e profissionalismo.  A todos vocês, membros da reitoria, coordenadores de curso, professores, funcionários dos setores técnicos e administrativos, da limpeza, da segurança, das Cantinas; aos que estão presentes e àqueles que não mais estão entre nós, como o saudoso Sr. Moacir, vítima do COVID-19 − meu MUITO OBRIGADO.

E para finalizar este meu agradecimento, numa espécie de prestação de contas à comunidade acadêmica, apresento-lhes um breve resumo do que foi realizado nesses oito anos, listando as dez realizações mais expressivas que marcaram nossa gestão.  Sim, digo nossa gestão porque não teria conseguido realizá-la a bom termo sem o apoio da Vice-reitora, Profa Karen Ambra, da Pró-reitora acadêmica, Profa Denize Mazza Garcia, do Pró-reitor Administrativo, Pe João Júlio Farias Jr, do Pró-reitor jurídico, Pe Rodolpho Perazzolo, e da Coordenadora da Pós-graduação, Profa Vânia Ramos, bem como do Secretário Geral, Sr. Adilson Lana, e da Pesquisadora Institucional, Sra Elaine Castanha. Ei-las aqui:

1.Recredenciamento do Centro Universitário. No momento que assumi a Reitoria, ele estava parado por mais de oito anos. Quando consegui reativar o processo, fazendo-o andar até o momento da homologação do recredenciamento, com o auxílio da mantenedora em momentos pontuais, havia se passado treze anos. Se o houvéssemos perdido, voltaríamos ao estatuto de Faculdade resvalando num grande desânimo entre professores, alunos e funcionários.

2.Qualificação do Corpo docente. Por um acordo firmado entre os membros do IESP, antiga mantenedora, com a FUNDASP, de concessão contínua de 5 bolsas de estudos para cursos de Pós-graduação Stricto Sensu,  e também pelo próprio empenho de membros do corpo docente investindo em si mesmos, conseguimos oferecer uma qualificação de excelência a quase duas dezenas de professores, aumentando significativamente a porcentagem de profissionais na instituição com mestrado e doutorado, zerando a presença de especialistas em nossos cursos de graduação.

3.Organização da Pastoral Universitária. Praticamente parada quando assumi a Vice-reitoria, ela foi reestruturada e passou a ser um cartão de visitas da Instituição no tocante a seu caráter confessional, capitaneando projetos de extensão e atividades extraclasses, além da realização de momentos celebrativos regulares. Nos três anos de Vice-reitoria e nos oitos anos da Reitoria, celebrei regularmente a Eucaristia em todas as 5as feiras às 18h30. Presidi praticamente todas as celebrações de Missa de Formatura, realizadas em sua maioria, na Igreja Nossa Senhora da Saúde, e as festas litúrgicas mais importantes, como missa de Páscoa, de abertura e encerramento do ano letivo, como também a festa da Padroeira, nos períodos matutino e noturno.


4.Parceria com o BOMPAR. Tendo consciência de que a IES se sustenta sobre três pilares: ensino, pesquisa e extensão, procurei estender o sentido desta última (extensão), em que o saber produzido rompe os muros da instituição e vai ao encontro da comunidade, lutando e estabelecendo uma parceria entre UNIFAI e o Centro Social Bom Parto, na Região Belém, por meio de cursos de capacitação, intitulados “Educação, Políticas Públicas e Espiritualidade”  para funcionários das instituições supervisionadas por ela, com todo apoio do bispo auxiliar para a Região Belém, D. Luiz Carlos. Esses cursos são ministrados por professores do UNIFAI e seus programas foram elaborados em reuniões conjuntas entre membros do UNIFAI e do BOMPAR com a minha presença e a presença de D. Luiz.


5.Grupos de Estudo e Reativação do Periódico Científico LUMEN (on-line). Com vistas à implantação de um Stricto Sensu no UNIFAI, articulei a criação de grupos de Estudos no Curso de Filosofia, ainda na época em que estive como Coordenador do Curso, e os incentivei cada vez mais, com a inscrição da revista junto aos organismos competentes que supervisionam periódicos científicos, para que ela recebesse o ISSN, a fim de que os professores da casa e de outras instituições pudessem publicar seus artigos científicos e registrá-los em seus Curriculum Lattes.

 
6.Criação do Bacharelado de Filosofia. Respondendo às necessidades da formação sacerdotal e religiosa da Arquidiocese de São Paulo e de outras Dioceses e Congregações religiosas foi criado o Bacharelado na área mencionada, como etapa preliminar e essencial ao curso de Teologia. Para a elaboração do Projeto Pedagógico de Curso - PPC, contamos com o empenho incansável da Coordenação e do Núcleo Docente Estruturante – NDE – do Curso para responder a todas as exigências tanto da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB – e dos formadores, quanto as do MEC para sua efetivação, introduzindo disciplinas em EAD para completar a carga horária a ser cumprida em três anos, a fim de não prolongar ainda mais os oito anos necessários à formação sacerdotal, incluso o ano propedêutico.


7.Criação do Curso de Pedagogia na Modalidade de Ensino à Distância (EAD). Motivados por uma parceria proposta pela Congregação das Irmãs Agostinianas, partimos para a idealização de dois Polos de EAD (um em São Paulo e outro em Portel - Pará), onde as irmãs têm uma obra Social. Viajei, em janeiro de 2019, para a Ilha de Marajó, com o propósito de observar a viabilidade do Projeto, passando ali uma semana, discutindo com autoridades civis e religiosas necessidades e viabilização para a utilização dos meios tecnológicos da empreitada. Com o aval da Mantenedora, demos início à criação da infraestrutura para laboratórios, gravações e reuniões nas dependências do UNIFAI, tendo recebido a visita do MEC e a aprovação com nota 4, sendo 5 a nota máxima, para a criação de cursos em EAD, aguardando a homologação do Ministro da Educação obliterada por causa da Pandemia.


8.Projeto de Stricto Sensu. Tendo em vista a demanda de nossos alunos por um curso de Stricto Sensu no UNIFAI, e como premissa para credenciamento dos Grupos de Estudos em Grupos de Pesquisa junto ao CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, e de fomentos à Iniciação Científica (IC) para os discentes, foi apresentada ao CEPE - Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, e por ele aprovada unanimemente, o projeto de criação de um Mestrado Multidisciplinar para Formação de Educadores para atuar em áreas de Vulnerabilidade. Esse projeto foi gestado por um grupo de professores (coordenadores dos cursos envolvidos: Pedagogia, Filosofia, História e Serviço Social), acompanhado pela Coordenadora da Pós-graduação Lato Sensu, Profa Vânia Ramos, pela a Vice-reitora Profa Karen Ambra (recém nomeada Reitora pelo senhor) e também por mim. O projeto entra agora na fase de encaminhamento à CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

 
9.Projeto de Extensão de Apadrinhamento afetivo de Crianças. Em parceria com o Fórum da Infância e do Adolescente do Jabaquara, as professoras do Curso de Serviço Social ministram cursos às famílias interessadas em adotar crianças e acompanham pessoas interessadas em apadrinhar aquelas que não se encontram mais nos critérios de adoção (passaram da idade). Trata-se de um apadrinhamento de cunho afetivo para criação de vínculos e não de um apadrinhamento econômico. As pessoas interessadas assumem uma criança para levá-la passear, para ser visitada regularmente e para lhe oferecer uma referência familiar. Esse projeto tem grande aceitação junto às comunidades acadêmica e geográfica.


10.Projeto de Língua e Cultura do Brasil.  Em parceria com a Missão Paz e a Caritas Arquidiocesana, oferece o conhecimento da língua portuguesa a imigrantes e refugiados, assistidos por essas instituições, além de um vínculo com uma instituição que os acolhe para que tenham cada vez mais consciência de pertença a uma comunidade e os meios para conhecer seus direitos e deveres.

 
Todas essas atividades foram sempre guiadas por um espírito de colegialidade e participação ativa dos envolvidos. Fiz questão em minha gestão de imprimir um caráter de respeito, de transparência e fraternidade entre todas as instâncias. Professores, alunos e funcionários gostam e vestem a camisa do UNIFAI e é isso que me faz sair do cargo de Reitor com a sensação do dever cumprido. Peço desculpas se não pude fazer mais, mas isso não se deveu a uma falta de compromisso de minha parte, mas ao fato de o que fora solicitado ter ido além de minhas forças. Nesta última palavra como Reitor, mas não a última enquanto docente do UNIFAI, pois voltarei a ocupar meu posto de professor no Curso de Filosofia, quis manifestar a toda comunidade meu agradecimento e lhes externar o meu empenho em imprimir o amor fraterno, insistentemente solicitado pelo Evangelho de Jesus Cristo, em todas as dimensões e em todas as instâncias de nosso querido UNIFAI. Aproveito a ocasião para saudar e desejar meus melhores votos de sucesso em sua gestão à Profa Karen Ambra e ao Prof. Alessandro Venturini, respectivamente a nova Reitora e o novo Vice-reitor do UNIFAI.  Caros alunos, professores e funcionários, Deus abençoe a todos vocês pelo bem que me fizeram e pelas alegrias que me proporcionaram ao longo de todos esses anos.

 
Fraternalmente,

Reitor Prof. Dr. Pe Edelcio Ottaviani
 

São Paulo, 24/10/2020

Reitor

Profª. Drª. Karen Ambra

Reitora do Centro Universitário Assunção - UNIFAI